terça-feira, 2 de maio de 2017

No desperdício de mudanças
Sem rumo...
Na Chegada do teu abraço
De estrelas e Mares...
*
Eu sou o sonho que aprendi
Pela existência e,
Pelos livros
Pela ambição de conhecer
*
Sou o teu peito indelével
No silêncio que revelo,
E que para a vida
Não se tem denotação
*
E assim amanheço animado
Pela poesia que te convido a fazer
Que não fala em escolhas
Só do amor que sinto por você
*
Magela e Elias.

sexta-feira, 24 de março de 2017

Devoção/Limpeza




Devoção/Limpeza
*
Acordava sempre às cinco da manhã...
Não que trabalhasse longe
Sua preocupação era os muros da casa
E, logo se punha a lavá-los com a vassoura
*
Água, sabão e aquela mesma ação
Nos quatros muros territoriais
Horas a finco a esfregar cimento
Pedras, paredes e os beirais
*
Seu maior orgulho era poder
Dizer aos demais:
Sabe que horas acordei?!
Viu os muros? Fui eu que lavei!
*
Não se importava com seus joelhos
Rotos pela artrose
Se no coração houvesse insuficiência,
Se fraco, oxigenava o pulmão
*
Sempre seus assuntos eram
Os Minuciosos excessos da limpeza
A que se dedicava doentiamente
Submetendo seu corpo físico, sem tristeza
*
Claro que a casa era impecável
Esse “impecável” significa
Extremamente sem sujeiras
Em eiras e beiras
*
Na sala os sofás estavam cobertos com capas,
E todos eram recebidos na área de serviço
Era por lá que a família entrava
Era lá que glorificava dores e trabalho que executava
*
Não havia empregada que servisse
Certa vez decidiu lavar o telhado...
Dizia isso com muita devoção,
E as filhas ameaçaram interná-la
*
Não se importava mais com o marido
A única coisa que lhe importava era que
A sujeira jamais entrasse em sua casa
Resultado: Foi internada
*
De Magela e Carmem T.Elias.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Aos olhos da paixão
Sempre falta alguma coisa...
Já em nosso pecado
Não falta nada
*
Quando misturo com a tinta
Vivo te compondo...
Percebendo que nesta falta,
não há mais derrame de cor...
*
Não há novas tonalidades
no amor que escorre por sobre a tela fria
É só no verso que se exalta assim:
Falta o teu corpo...
*
Assim como, falta calor
Falta também um abraço que inflame
Que enlace
Mesmo que a alma reclame
*
Carmem T.Elias e De Magela - Poesias.
Perguntei o que fazia quando tinha medo
-Sorriu tímido pelo canto da boca, 
E respondeu:
Escrevo!
*
De Magela -Poesias

Bondade

Bondade
*
No primeiro beijo do dia
Um girassol cobre o leito
Com a pureza do trigo:
Meu abrigo
*
Apresenta-se na manhã
Para perdoar mágoas
Que pela noite de flores escuras
Adormeceu em seus temores
*
O melhor alimento para quem acorda
É a semente...
Tendo os olhos plenos na luz da aurora
Que rompe as nuvens a despertar paraísos
*
Cadencia pelo final do sonho bom...
E agradecendo esta solidão tão profunda
Renasce o amor cheio de bondade
E minha alma inunda.
*
Magela e Elias/Devoção/Bondade.